E libertei-me

Porque hoje é sábado
parei a pensar o que hoje pensei.
E libertei-me.

E sonhei dormir em Jerusalem-1

 

Sou aquele
que o cume me vê
qual ele
caminhar no vale do silêncio
sonhando dormir a seu tempo
em Jerusalém.

Manuel Paulo em
E assim dormirás

Caminhantes audazes
no tempo e no espaço,
caminheiros descalços,
mas valentes,
de cumes e abismos,
deitados serenos
num chão de crenças e memórias,
olhando os cumes,
alcançamos a libertação.

E ganhamos o direito
de voltar a ser crianças,
com o jeito que temos
para contar histórias
e com tantas delas
para vos contar.

E aqui vai uma.
1964 – 15 anos.
As primeiras letras
esvoaçavam pelo ar
tombando inseguras
nas paredes caiadas
do meu quarto de catraio.
Mas só meu.

Por entre contas-correntes e balanços,
projetos de negócio,
fracassos e sucessos,
quantos ditongos e pronomes,
hiatos, advérbios, conjunções
aterraram ao de leve
no branco neve do meu papel.
Fui-os guardando
de mansinho, um a um,
na arca da aliança
onde recolhemos
as lembranças e os segredos
à maneira de flores.

2014 – 75 anos
Uma breve conversa
com a Velha Senhora
quanto eu,
arrumou ideias,
rompeu cadeias,
dissipou mitos
de bem comportado,
abriu a Arca
e Ponto Final aconteceu.

E foi bom.
E lá vão cinco.

E aquelas letras
que tombavam inseguras
nas paredes caiadas
do meu quarto de catraio
acharam a terra-mãe
adonde repousar.

Em paz.
Até à eternidade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>