Desta vez foi de vez

Porque hoje é sábado, parei a pensar o que hoje pensei.
E desta vez foi de vez.

Desta vez foi de vez

 

Aprendi com as primaveras a deixar-me cortar e a voltar sempre inteira.
Cecília Meireles
(Poetisa, pintora e jornalista brasileira. Com a publicação em 1939 do livro Viagem, ganhou o Prêmio de Poesia da Academia Brasileira de Letras).

Desta vez foi de vez

Pisei a linha. Há sempre uma primeira vez.
Eu quis conhecer-me. Sem mais. Tal qual sou.
Parei para pensar. Olhei-me bem dentro e que vi?
Eu vi um pedaço de nada ou quase nada
que faz do fazer o ato supremo.
Eu vi-me gente com medo de gente,
berbere fugitivo do mundo
que simula abraçar a mudança,
fingindo até que sabe brincar.

Pisei a linha. Há sempre uma primeira vez.
Tomara romper com o passado,
estilhaçar esse encolher de ombros
que nos faz seguir em procissão.

Até que uma criança parou de brincar,
olhou para mim e sorriu.
Ai de mim que não aguentei.
E este pedaço de nada ou quase nada
virou gente que acredita na mudança
e sabe até brincar como criança.

Pisei a linha. E desta foi de vez.

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *