E proibi-me proibir

Porque hoje é sábado,
parei a pensar o que hoje pensei.
E proibi-me proibir.

É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.
Pablo Neruda – excerto do poema “É proibido”

É proibido
pôr fim a memórias lembradas
de quanto que fomos
que são o que somos.

É proibido
esquecer histórias passadas,
reais ou sonhadas,
que são o que amamos.

É proibido
deixar que a saudade datada
sufoque-nos  o hoje
que é o que temos.

É proibido
calar um silêncio profundo
na busca do belo
que é o que cremos.

Também eu em aurora distante
de dor e tormenta,
embalado na busca remota
do alfa e do ómega,
acordei a cantar.

E deixei-me ir.

E na tal aurora distante
de dor e tormenta
fiz promessa solene:

É proibido proibir.

This entry was posted in Parar para pensar porque hoje é sábado. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *