Aqui e agora.

Porque hoje é sábado
parei a pensar o que hoje pensei.
Aqui e agora.

Aqui e agora

… a minha voz pode mais do que os tiros.
As balas resolvem os problemas do momento.
Mas os versos resolvem os de sempre…»
Miguel Torga – Sinfonia

Aqui e agora

Balas e palavras
cruzam o vento, de lado,
bem perto de mim.

Agarro-as ao acaso
sem saber qual delas provar.
Com mãos cheias
de balas e palavras
busco nelas onde estão
a tua, a minha redenção.

Que eu no coldre tenho balas enfeitadas
e palavras de ternura  na garganta
quantas vezes sem saber que lhes fazer.
Quantas delas disparadas por pretexto,
tantas outras proferidas por desculpa
de cruzar-te fugidio sem te ver.

Aqui e agora,
chegou a hora de escolher.

Não vale chorar por quem vejo morrer longe
quando aqui, mesmo ao meu lado,
de balas perfumadas chovem fomes,
de palavras consoladas de desculpa
só resta solidão.

Vem daí. E dá-me a tua mão.
Que tu e eu e tanta multidão
perto de nós,
com balas no coldre enfeitadas
e palavras de ternura na garganta
sem saber que lhes fazer,
somos capazes, como por magia,
converter tiros de sangue
em rosas encarnadas,
letras ao vento em pura poesia
que redimirá o mundo
para sempre.

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>