Em busca do infinito

Porque hoje é sábado
parei a pensar o que hoje pensei.

 

Três reflexões que encontrei
na busca do infinito:

Morreu a luz, pulverizando a fraga,
Morreu a poeira, alimentando a seara;
Morreu a seara, que gerou o trigo;
Morreu o trigo, que deu vida à carne;
Morreu a carne, que nutriu desejo;
Morreu desejo, que se fez pecado;
Morreu pecado, que floriu em dor;
Morreu a dor, para nascer o Amor!

E só o Amor na vida sepulcral
É infinito e é imortal!
Guerra Junqueiro, in ‘Poesias Dispersas’

Se o amor cabe numa só flor, então é infinito.      
Antonio Porchia em “Aforismos”

Deus é o caminho mais curto entre o zero e o infinito, tanto numa direcção como na outra.
Alfred Jarry em “Vie et opinions du Dr. Faustroll”

E pensei alto:

Infinito.
Deus para os crentes,
Inpermanentia para os Budistas,
amor para todos os homens
de boa vontade.

Mergulhei fundo
no fundo dos teus olhos
em busca do infinito.

Deslizei
no tempo e no espaço
entre o tudo e o nada.

Busquei razão de ser
p´ra tanta festa
e tanto padecer.

E não sei em que momento
da viagem
olhei-te a alma.

E acredito
que achei a solução.

Mergulhei fundo
no fundo dos teus olhos
em busca do infinito
e não o encontrei
na multidão.

Fui descobri-lo
no amor que ontem
sem querer nem procurar
entreguei ao meu irmão.

This entry was posted in Parar para pensar porque hoje é sábado. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>