Porque agora sou lixo

Porque hoje é Sábado
parei a lembrar o que hoje pensei.

Estou lixado
porque agora sou lixo.

Deixei o passado onde está
e pulei ao futuro
porque agora sou lixo.

Parei de pensar o que sou,
quando volto ou se vou
porque agora sou lixo.

Deixei a revolta entalada
na porta da entrada
porque agora sou lixo.

Parei de contar as estrelas,
de sonhar acordado
porque agora sou lixo.

Deixei de contar as moedas,
de pô-las de lado
porque agora sou lixo.

Parei de dar murros na mesa
que o que resta é tristeza
porque agora sou lixo.

E quando o carro passar
para me levar
eu vou deixar.
Que do adubo que eu for
eu verei nascer uma flor.

E jamais serei lixo

This entry was posted in Parar para pensar porque hoje é sábado. Bookmark the permalink.

2 Responses to Porque agora sou lixo

  1. José Lourenço Castro says:

    Caro amigo Paulo,
    Achei o teu poema muito bonito.
    Obrigado por te teres lembrado de mim.
    Saúde para ti e para todos os teus
    Um abraço
    Lourenço

    • Manuel Paulo says:

      Caro Lourenço,
      Obrigado. É bom partilharmos enquanto podemos. Breve vou marcar um encontro do nosso grupo. Depois confirmo-te a data.
      Saudades aos teus e um abraço para ti.
      Paulo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>