Sou vendedor de sonhos

Sem mais.
Tal qual sou. Um punhado de ilusões.
Uma mão cheia de fantasia.
Um balouçar
entre o tédio e a alegria,
entre o dever e a utopia,
entre a farsa e a euforia.
Com muito trambolhão
à mistura
e também
alguma sabedoria.
Excerto de Auto-Retrato em PONTO FINAL

Livros publicados

2012 Editora Delicatta – São Paulo – Brasil

2009 Scortecci Editora – São Paulo – Brasil

Capa do livro Ponto Final

2003 Edição do autor – Vila Real – Portugal

Parei para pensar, porque hoje é sábado.

Parei a lembrar o que hoje pensei.
Porque hoje é sábado.
E em cada sábado que chegar irei parar a lembrar o que nele pensar.
Porque será sábado.
 
 

Eu estou por aí

 
Eu estou por aí
a dar-me a conhecer naquilo que escrevo.
Aos poucos verás sem mais.
Tal qual sou.

5 Responses to Sou vendedor de sonhos

  1. João Miguel Cunha says:

    Nestes tempos conturbados, numa altura em que a esperança em dias melhores se esvai na vorágem do descalabro do nosso país a entrar em falência, fazem falta poetas como tu que nos ajudem a elevar o ânimo e a pensar que a vida não é só feita de “mercados” “FMIs” “rankings” ou “bancos europeus”.
    Continua a presentear-nos com poesia tão bela e que nos enche a alma.
    Um abraço
    jmiguel

  2. Manuel Paulo says:

    Um bom amigo enviou-me esta mensagem que não resisto em publicar aqui.

    Estimado amigo,
    Muito obrigado: No fim de um ano – 52 sábados para pensar no que pensou – está construído um novo livro. Com uma cadência marcada pelo calendário, espécie de horário afixado no quadro das nossas obrigações. Até agora, páginas leves na sua singela aparência mas que, em geral, travada a sofreguidão do entender singelo, levam para lá da natureza das páginas, a voar com a intangibilidade das ideias. Só não sei se algumas vezes me não levam (ou trazem?) das alturas do voo às profundezas do mergulho. Seja como for, não sou o mesmo depois de ler estas manchas gráficas de poucas letras e forte espessura. Tudo em bold vertido. Provavelmente ninguém será o mesmo depois deste exercício.
    Por mim faço-o devagar ainda que se não conheçam efeitos secundários.
    Um abraço
    Almor Viegas

  3. Edvaldo Rosa says:

    Manoel Paulo, obrigado pela presença em meus espaços, e pelos gentis comentários!
    O http://www.sacpaixao.net esta aberto para ti, e o meu coração ainda mais!
    Concordando com outros comentários em sua página, digo, ainda bem que nós poetas existimos: Trazemos um pouco de humanidade para esta vida tão louca dos dias de hoje! Abraços fraternos
    Edvaldo Rosa

  4. ilma says:

    tio paulo! obrigado por colocar essa modelo linda no livro.na capa.
    vou comprar o livro ok? bjinhos saude mt susseso.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>